Suporte Dermatológico

Radiodermite: como cuidar de queimadura por radioterapia

A radioterapia é um método que utiliza feixes de radiações ionizantes aplicados sobre o câncer ou na área de onde ele foi retirado, para destruir as células tumorais e impedir que cresçam novamente. Porém, por mais que as doses desses feixes sejam calculadas para atingir somente o tumor, muitas vezes as áreas vizinhas e a pele que recobre a região podem ser afetadas, desencadeando  a radiodermite, que é um dos principais efeitos colaterais do tratamento. A radiodermite causa dor e diminui  significativamente a qualidade de vida do paciente oncológico.

Ela é classificada em quatro níveis:

  • Grau 1 – Vermelhidão leve , depilação e  descamação seca da pele
  • Grau 2 – Vermelhidão moderada  e descamação úmida, como assadura, com ou sem dor
  • Grau 3 – Descamação úmida com aspecto de queimadura , inchaço em “casca de laranja”, com dor importante
  • Grau 4 – perda da camada superior da pele (aspecto de úlcera), sangramento e necrose com dor

 

Cuidados importantes com a região afetada pela radiodermite

Além dos cuidados gerais com a pele citados antes, a região afetada pela radiodermite precisa de cuidados específicos:

  • Mantenha a área irradiada limpa e seca;
  • Lave a região  com água morna e shampoo infantil, evite o uso de sabonetes em barra;
  • Não deixe a água do chuveiro cair diretamente na área afetada, pois isso pode piorar sua dor;
  • Não use perfumes, desodorantes ou qualquer tipo de loção, principalmente as que contêm álcool;
  • Use roupas mais largas para que não haja atrito na região afetada;
  • Evite produtos tópicos que não tenham sido prescritos por seu oncologista ou dermatologista;
  • Não use sutiãs estruturados, com bojo ou metais;
  • Evite qualquer tipo de roupa mais apertada;
  • Prefira  sempre tecidos de algodão;
  • Evite a  exposição  da região ao sol de forma permanente
  • Durante o tratamento, não frequente piscina ou praia; 6 meses depois do fim do tratamento, você pode ir à praia ou piscina protegendo a região afetada com filtro solar FPS 60 de 3 em 3 horas. No mercado existem filtros com cor que, além de proteger, disfarçam melhor as alterações na pele.